A comunicação que abre portas

A comunicação que abre portas

A importância da ComunicaçãoO relacionamento interpessoal e a criação de vínculos saudáveis ocupam lugar fundamental na vida de qualquer pessoa. E isso inclui, é claro, o ambiente de trabalho. Por isso é importante sempre ter em mente: o que eu quero e preciso comunicar? Afinal, não adianta ambicionar uma posição de liderança, por exemplo, se não é isso que você transmite. A questão é que muitas vezes as pessoas são julgadas ou rotuladas por não reconhecerem determinadas características em seu próprio comportamento. E seja qual for o rótulo, muitas vezes o interlocutor causa um efeito indesejado por ter uma comunicação ineficaz.

Não é à toa que esse tema é recorrente em minhas aulas. E não adianta valer-se da máxima “sou responsável pelo que eu digo e não pelo que você entende”. É claro que você é! A sua maneira de se colocar no mundo é decisiva. E pode tanto levar ao reconhecimento de um trabalho bem feito quanto ao contrário. Sem contar que o currículo é importante, mas não pode ser tudo que você é. Ele serve apenas para aquela triagem que define quem merece ou não uma entrevista. Dali em diante é como você se sai nas entrevistas ou dinâmicas que vai determinar seu futuro.

No momento estou atendendo um aluno que é o exemplo perfeito disso. Ele está na casa dos 50 anos, e há mais de 20 era CEO de uma grande multinacional, isso sem contar o tempo como vice presidente na mesma empresa. O currículo é impecável! Mas, depois de tanto tempo, a crise também o atingiu e ele se viu tendo que procurar outro emprego.

O problema é: foram anos como CEO. Anos transmitindo essa mesma mensagem. E é fácil acostumar-se. Mas essa não é mais a realidade dele. Nesse momento, em que ele precisa se recolocar no mercado, comunicação precisa ser extremamente precisa e eficiente. Ele precisa deixar um pouco de lado o CEO e abraçar o “CEO desempregado extremamente competente”, entendem? Assim ele tem como dar luz às suas qualidades.

E olha, ele realmente precisa ajustar a comunicação. Primeiro que, embora ainda esteja na casa dos 50 anos, quem o vê pensa que ele é pelo menos 15 anos mais velho. O motivo? A postura. As empresas buscam inovação, e costumam olhar torto para as pessoas mais velhas.. É um preconceito bobo? Sem dúvidas. Mas ainda são as regras do jogo, e para ganhá-lo têm que conhecê-las muito bem.

A verdade é que a construção do discurso é essencial em qualquer campo da vida, especialmente quando falamos do mercado de trabalho. Seja na apresentação de um pitch a um potencial cliente ou investidor, seja apresentação das próprias competências diante de um Gerente de RH, a forma como nos apresentamos diante do mundo é determinante. Comunicar-se de forma eficaz e expressar-se de forma clara e segura abre portas. E ajuda a subir os degraus.